O que é: Últimos reis de Israel e seu destino?

O que é: Últimos reis de Israel e seu destino?

Os últimos reis de Israel desempenharam um papel crucial na história do antigo reino de Israel. Após a morte do rei Salomão, o reino foi dividido em dois: Israel, ao norte, e Judá, ao sul. Enquanto Judá teve uma linhagem de reis da casa de Davi, Israel teve uma sucessão de reis que, em sua maioria, foram considerados maus e desobedientes aos mandamentos de Deus. Neste glossário, exploraremos os últimos reis de Israel e seu destino, destacando suas ações, sucessões e o desfecho de seus reinados.

Jeroboão I

Jeroboão I foi o primeiro rei de Israel após a divisão do reino. Ele foi escolhido por Deus para liderar as dez tribos do norte, mas, infelizmente, não seguiu os caminhos do Senhor. Jeroboão I introduziu a adoração de bezerros de ouro e construiu altares em lugares não autorizados. Como consequência de sua desobediência, Deus prometeu que sua dinastia seria exterminada e que o reino de Israel seria destruído.

Nadabe

Nadabe foi o filho de Jeroboão I e sucedeu seu pai como rei de Israel. No entanto, seu reinado foi curto, durando apenas dois anos. Ele continuou a praticar os pecados de seu pai e foi assassinado por Baasa, um dos seus oficiais, que usurpou o trono.

Baasa

Baasa governou Israel por vinte e quatro anos, mas também foi considerado um rei mau. Ele continuou a adorar os bezerros de ouro e a desobedecer aos mandamentos de Deus. Além disso, Baasa foi responsável pela destruição da casa de Jeroboão I, cumprindo assim a profecia divina. No final de seu reinado, ele foi assassinado por um de seus filhos, que assumiu o trono.

Elá

Elá, filho de Baasa, sucedeu seu pai como rei de Israel. No entanto, seu reinado durou apenas dois anos, pois ele foi assassinado por Zinri, um dos seus oficiais. Zinri então se tornou o próximo rei de Israel.

Zinri

Zinri governou Israel por apenas sete dias. Ele foi um rei impiedoso e desobediente, e seu reinado foi marcado por conflitos internos. Quando o exército de Israel se rebelou contra ele, Zinri decidiu se suicidar, incendiando seu palácio.

Onri

Onri, um oficial do exército, foi escolhido como o próximo rei de Israel após a morte de Zinri. Ele governou por doze anos e foi considerado um rei mau. Onri continuou a adorar os bezerros de ouro e a desobedecer aos mandamentos de Deus. Seu reinado foi marcado por conflitos e rivalidades com outros reinos vizinhos.

Acazias

Acazias sucedeu seu pai Onri como rei de Israel. Seu reinado durou apenas dois anos e foi marcado por sua aliança com o rei Jorão de Judá, que também era considerado um rei mau. Acazias morreu devido a uma queda de uma sacada e foi sucedido por seu irmão Jorão.

Jorão

Jorão, filho de Acazias, assumiu o trono de Israel após a morte de seu irmão. Seu reinado foi marcado por conflitos com o rei Jeú, que foi ungido por Deus para destruir a casa de Acabe. Jorão foi ferido em batalha e voltou para Jezreel, onde foi assassinado por Jeú. Seu corpo foi jogado em um campo e não recebeu um sepultamento adequado.

Jeu

Jeú foi o próximo rei de Israel e governou por vinte e oito anos. Ele foi escolhido por Deus para executar juízo sobre a casa de Acabe e eliminar a adoração de Baal em Israel. Jeú cumpriu sua missão com crueldade e derramamento de sangue, matando todos os descendentes de Acabe e destruindo os profetas de Baal. No entanto, ele também continuou a adorar os bezerros de ouro e não seguiu completamente os mandamentos de Deus.

Jeoacaz

Jeú foi sucedido por seu filho Jeoacaz, que governou Israel por dezessete anos. Jeoacaz foi considerado um rei mau e desobediente, e seu reinado foi marcado por conflitos com os reis da Assíria. Ele foi capturado e aprisionado pelo rei da Assíria, que impôs um tributo pesado sobre Israel.

Jeoaquim

Jeoaquim, filho de Jeoacaz, assumiu o trono de Israel após a morte de seu pai. Seu reinado durou apenas três meses, pois ele foi deposto pelo faraó Neco do Egito, que o levou cativo para o Egito. Jeoaquim foi substituído por seu irmão Joaquim, que se tornou o último rei de Israel.

Joaquim

Joaquim governou Israel por onze anos, mas seu reinado foi marcado pela opressão do rei Nabucodonosor da Babilônia. Ele se rebelou contra o domínio babilônico e foi capturado, junto com grande parte da população de Jerusalém. Joaquim foi levado cativo para a Babilônia, encerrando assim o reino de Israel.

Conclusão

Embora os últimos reis de Israel tenham desempenhado papéis importantes na história do antigo reino, a maioria deles foi considerada má e desobediente aos mandamentos de Deus. Suas ações levaram à destruição do reino de Israel e ao cativeiro do povo. Essa história serve como um lembrete de que a desobediência e a adoração de ídolos têm consequências graves. É importante aprender com os erros do passado e buscar seguir os caminhos do Senhor.