O que é: Trabalhador da última hora na parábola em Mateus?

O que é: Trabalhador da última hora na parábola em Mateus?

A parábola do trabalhador da última hora é uma das histórias mais conhecidas e impactantes encontradas no Evangelho de Mateus. Essa parábola é contada por Jesus para transmitir uma importante mensagem sobre a graça de Deus e a igualdade de oportunidades no Reino dos Céus. Neste glossário, vamos explorar em detalhes o significado dessa parábola e suas principais lições.

A parábola do trabalhador da última hora

A parábola do trabalhador da última hora é encontrada no capítulo 20 do Evangelho de Mateus, nos versículos 1 a 16. Nessa história, Jesus compara o Reino dos Céus a um proprietário de uma vinha que contratou trabalhadores para a sua plantação. O proprietário saiu pela manhã e contratou alguns trabalhadores por um denário, combinando com eles o valor justo pelo trabalho.

Os trabalhadores contratados ao longo do dia

No decorrer do dia, o proprietário da vinha saiu novamente em diferentes horários e contratou mais trabalhadores. Ele fez isso ao meio-dia, às três horas da tarde e até mesmo na última hora do dia. Em cada uma dessas ocasiões, o proprietário encontrou pessoas desocupadas e as convidou para trabalhar em sua vinha, prometendo-lhes um pagamento justo.

A surpresa no pagamento dos trabalhadores

Ao final do dia, quando chegou a hora de pagar os trabalhadores, o proprietário começou pelos que foram contratados por último. Para surpresa de todos, ele deu a cada um deles um denário, o mesmo valor combinado com os primeiros trabalhadores contratados pela manhã. Quando os trabalhadores que foram contratados pela manhã viram isso, esperavam receber mais, mas também receberam um denário.

A reação dos trabalhadores contratados pela manhã

Os trabalhadores que foram contratados pela manhã começaram a reclamar do proprietário, alegando que eles haviam trabalhado mais tempo e esperavam receber uma recompensa maior. No entanto, o proprietário respondeu a eles dizendo que ele havia cumprido o acordo que havia feito com eles e que ele tinha o direito de ser generoso com os outros trabalhadores se assim desejasse.

A mensagem da parábola

A parábola do trabalhador da última hora transmite uma mensagem poderosa sobre a graça de Deus e a igualdade de oportunidades no Reino dos Céus. Ela mostra que Deus é generoso e não faz acepção de pessoas, oferecendo a todos a mesma oportunidade de salvação, independentemente de quando aceitam o convite para segui-lo.

A graça de Deus

Essa parábola ilustra a graça de Deus, que é a oferta gratuita e imerecida de salvação e vida eterna. Assim como os trabalhadores contratados pela última hora receberam o mesmo pagamento que os contratados pela manhã, todos aqueles que aceitam o convite de Deus para segui-lo recebem a mesma recompensa: a vida eterna ao lado Dele.

A igualdade de oportunidades

A parábola também enfatiza a igualdade de oportunidades no Reino dos Céus. Independentemente de quando uma pessoa decide seguir a Jesus, ela recebe a mesma recompensa e é acolhida da mesma forma por Deus. Isso mostra que não importa o passado ou as circunstâncias, todos têm a chance de serem salvos e desfrutarem da presença de Deus.

A importância da generosidade

Outra lição importante que podemos extrair dessa parábola é a importância da generosidade. O proprietário da vinha tinha o direito de ser generoso com os trabalhadores contratados pela última hora, assim como Deus tem o direito de ser generoso com todos aqueles que aceitam o Seu convite para segui-lo. Essa generosidade é um reflexo do amor e da bondade de Deus.

A reação dos trabalhadores contratados pela manhã

A reação dos trabalhadores contratados pela manhã, que reclamaram do proprietário por receberem o mesmo pagamento que os contratados pela última hora, nos lembra da importância de não sermos invejosos ou egoístas. Devemos nos alegrar com a salvação dos outros e reconhecer que a graça de Deus não é limitada, mas abundante para todos.

Conclusão

Em resumo, a parábola do trabalhador da última hora nos ensina sobre a graça de Deus, a igualdade de oportunidades no Reino dos Céus e a importância da generosidade. Ela nos lembra que Deus é justo e oferece a todos a mesma oportunidade de salvação, independentemente de quando aceitam o Seu convite. Devemos nos alegrar com a salvação dos outros e reconhecer que a graça de Deus é abundante para todos.