O que é: Templo celestial mencionado no livro de Hebreus?

O que é: Templo celestial mencionado no livro de Hebreus?

O livro de Hebreus, encontrado no Novo Testamento da Bíblia, é uma obra que aborda diversos temas relacionados à fé cristã. Um dos assuntos tratados nesse livro é o conceito de um “templo celestial”. Neste glossário, iremos explorar o significado e a importância desse templo mencionado no livro de Hebreus.

Origem e contexto bíblico

O livro de Hebreus foi escrito por um autor desconhecido, mas é amplamente atribuído ao apóstolo Paulo. Ele foi escrito por volta do ano 60-70 d.C. e é dirigido aos cristãos judeus que estavam enfrentando perseguição e tentados a abandonar sua fé.

No contexto do livro de Hebreus, o autor faz referência ao templo celestial como uma figura simbólica e espiritual. Ele contrasta o templo terreno, construído pelos homens em Jerusalém, com o templo celestial, que é o verdadeiro lugar de adoração e comunhão com Deus.

Significado e importância do templo celestial

O templo celestial mencionado no livro de Hebreus representa a presença de Deus e a comunhão com Ele. É um lugar espiritual onde os crentes podem se aproximar de Deus e adorá-Lo. Ao contrário do templo terreno, que era limitado e temporário, o templo celestial é eterno e perfeito.

O autor de Hebreus enfatiza que Jesus Cristo é o sumo sacerdote do templo celestial. Ele é o mediador entre Deus e os homens, e através de sua morte e ressurreição, Ele abriu o caminho para que todos possam se aproximar de Deus e ter acesso ao templo celestial.

Características do templo celestial

O templo celestial descrito no livro de Hebreus é descrito como sendo superior ao templo terreno em vários aspectos. Ele é descrito como sendo eterno, imutável e perfeito. Ao contrário do templo terreno, que precisava de sacrifícios constantes para a remissão dos pecados, o templo celestial oferece uma redenção completa e definitiva.

Além disso, o templo celestial é descrito como sendo o lugar onde Deus habita em sua plenitude. É um lugar de adoração e comunhão íntima com Deus. No templo celestial, não há necessidade de intermediários ou rituais externos, pois todos têm acesso direto a Deus através de Jesus Cristo.

Relação com o Antigo Testamento

O conceito de um templo celestial mencionado no livro de Hebreus tem raízes no Antigo Testamento da Bíblia. No Antigo Testamento, o templo terreno em Jerusalém era considerado o lugar onde Deus habitava e onde os sacrifícios eram oferecidos para a remissão dos pecados.

No entanto, o livro de Hebreus argumenta que o templo terreno era apenas uma sombra do verdadeiro templo celestial. Ele afirma que Jesus Cristo é o verdadeiro sumo sacerdote e que seu sacrifício na cruz foi o sacrifício perfeito e definitivo para a remissão dos pecados.

Aplicação prática para os cristãos

O conceito do templo celestial mencionado no livro de Hebreus tem implicações práticas para os cristãos. Ele nos lembra que nossa adoração e comunhão com Deus não estão limitadas a um lugar físico, mas são espirituais e podem ocorrer em qualquer lugar e a qualquer momento.

Além disso, o templo celestial nos lembra da importância de Jesus Cristo como nosso mediador e sumo sacerdote. Ele é o único caminho para nos aproximarmos de Deus e experimentarmos a plenitude de sua presença.

Conclusão

Em resumo, o templo celestial mencionado no livro de Hebreus é um conceito espiritual que representa a presença de Deus e a comunhão com Ele. É um lugar eterno e perfeito, onde todos os crentes têm acesso através de Jesus Cristo. Esse conceito tem implicações práticas para os cristãos, lembrando-nos da importância de nossa adoração espiritual e da mediação de Jesus Cristo.