O que é: Representações simbólicas no livro de Apocalipse?

O que é: Representações simbólicas no livro de Apocalipse?

O livro de Apocalipse, também conhecido como o Apocalipse de João, é o último livro do Novo Testamento da Bíblia. Escrito por volta do final do primeiro século d.C., o livro é atribuído ao apóstolo João e é considerado uma profecia sobre o fim dos tempos e o retorno de Jesus Cristo. Uma das características mais marcantes do livro de Apocalipse são as suas representações simbólicas, que são utilizadas para transmitir mensagens e visões proféticas. Neste glossário, exploraremos algumas das principais representações simbólicas presentes no livro de Apocalipse e seu significado dentro do contexto bíblico.

1. Os Sete Selos

Os sete selos são uma das representações simbólicas mais importantes no livro de Apocalipse. Eles são descritos como selos que estão sobre um livro nas mãos daquele que está assentado no trono. Cada selo representa um evento ou uma série de eventos que ocorrerão durante o período do fim dos tempos. A abertura dos selos desencadeia uma série de acontecimentos catastróficos, como guerras, fome, pestilências e terremotos. Esses eventos são vistos como sinais do juízo divino e do início da grande tribulação.

2. As Sete Trombetas

As sete trombetas são outra representação simbólica presente no livro de Apocalipse. Elas são tocadas por sete anjos e cada trombeta representa um julgamento divino que será executado sobre a Terra. Quando as trombetas são tocadas, ocorrem eventos como chuva de fogo, queda de estrelas, envenenamento das águas e a morte de um terço da humanidade. Esses julgamentos são vistos como uma forma de punição pelos pecados da humanidade e como um chamado ao arrependimento.

3. A Besta

A besta é uma figura simbólica que representa o poder do mal e da perseguição aos cristãos durante o período do fim dos tempos. Ela é descrita como um animal feroz, com dez chifres e sete cabeças, que emerge do mar. A besta é associada ao Anticristo e ao falso profeta, que enganam as pessoas e as levam a adorar a si mesmos e a rejeitar a Deus. Aqueles que se recusam a adorar a besta são perseguidos e muitos são martirizados por causa de sua fé.

4. A Mulher vestida de Sol

A mulher vestida de sol é uma figura simbólica que representa a Igreja de Cristo. Ela é descrita como uma mulher grávida, vestida de sol, com a lua debaixo dos seus pés e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça. Essa representação simboliza a beleza e a glória da Igreja, que é a noiva de Cristo. A mulher vestida de sol também é associada à proteção divina e à vitória final sobre o mal.

5. O Dragão

O dragão é uma figura simbólica que representa Satanás, o inimigo de Deus e dos cristãos. Ele é descrito como um grande dragão vermelho, com sete cabeças e dez chifres, que é lançado à Terra e persegue a mulher vestida de sol. O dragão simboliza o poder do mal e a tentação de desviar as pessoas da fé em Deus. Ele é derrotado por Miguel e seus anjos, que o lançam para fora do céu.

6. As Duas Testemunhas

As duas testemunhas são duas figuras simbólicas que representam os profetas de Deus durante o período do fim dos tempos. Elas são descritas como duas oliveiras e dois candelabros, que têm o poder de profetizar e de realizar milagres. As duas testemunhas são enviadas por Deus para proclamar a sua mensagem e advertir as pessoas sobre o juízo divino. Elas são mortas pelo Anticristo, mas ressuscitam após três dias e são levadas para o céu.

7. A Nova Jerusalém

A Nova Jerusalém é uma representação simbólica do reino de Deus e da vida eterna. Ela é descrita como uma cidade santa, que desce do céu, com muros de jaspe, ruas de ouro puro e doze portas de pérolas. A Nova Jerusalém é o lugar onde os justos viverão em comunhão com Deus para sempre. Ela simboliza a esperança dos cristãos de uma vida futura livre do pecado e do sofrimento.

8. A Grande Babilônia

A Grande Babilônia é uma figura simbólica que representa o sistema mundial de poder e corrupção durante o período do fim dos tempos. Ela é descrita como uma grande cidade, que governa sobre os reis da Terra e que é responsável por seduzir as nações e os povos com suas riquezas e práticas imorais. A Grande Babilônia é vista como um símbolo da idolatria e da rebelião contra Deus. Ela é destruída por Deus como um sinal do seu juízo final.

9. A Ceia das Bodas do Cordeiro

A ceia das bodas do Cordeiro é uma representação simbólica do banquete celestial que ocorrerá no reino de Deus. Ela é descrita como uma festa em que os justos serão convidados para se sentar à mesa com Jesus Cristo e desfrutar da comunhão com ele. A ceia das bodas do Cordeiro simboliza a união perfeita entre Cristo e a sua Igreja e a alegria eterna que os fiéis terão na presença de Deus.

10. A Ressurreição dos Mortos

A ressurreição dos mortos é uma representação simbólica da vitória sobre a morte e da vida eterna. Ela é descrita como o momento em que os mortos serão ressuscitados e receberão corpos glorificados. A ressurreição dos mortos é vista como uma promessa de esperança para os cristãos, que acreditam que aqueles que morreram em Cristo serão reunidos com ele na vida eterna. Ela representa a vitória final sobre o pecado e a morte.

11. O Lago de Fogo

O lago de fogo é uma representação simbólica do juízo final e do destino dos ímpios. Ele é descrito como um lugar de tormento eterno, onde Satanás, o Anticristo e todos aqueles que rejeitaram a Deus serão lançados. O lago de fogo simboliza a justiça divina e a punição para aqueles que escolheram viver em rebelião contra Deus. Ele representa a separação eterna de Deus e a condenação dos ímpios.

12. A Vinda de Jesus Cristo

A vinda de Jesus Cristo é a representação simbólica do retorno de Cristo à Terra para estabelecer o seu reino e julgar os vivos e os mortos. Ela é descrita como a vinda de Jesus montado em um cavalo branco, acompanhado por um exército celestial. A vinda de Jesus Cristo simboliza a vitória final sobre o mal e a restauração do reino de Deus. Ela representa a esperança dos cristãos de um futuro glorioso na presença de Deus.

13. A Nova Criação

A nova criação é a representação simbólica do novo céu e da nova terra que serão estabelecidos por Deus após o juízo final. Ela é descrita como um lugar onde não haverá mais dor, sofrimento, pecado ou morte. A nova criação simboliza a restauração completa da criação de Deus e a renovação de todas as coisas. Ela representa a esperança dos cristãos de uma vida eterna em comunhão perfeita com Deus.