O que é : Instruções sobre o dízimo no Antigo Testamento?

O que é: Instruções sobre o dízimo no Antigo Testamento?

No Antigo Testamento, encontramos diversas referências sobre o dízimo, uma prática que consiste em separar uma parte dos ganhos e ofertá-la a Deus. Essa prática era comum entre os hebreus e estava relacionada à adoração e ao sustento dos levitas, que eram responsáveis pelo serviço religioso no templo. Neste glossário, vamos explorar em detalhes as instruções sobre o dízimo presentes no Antigo Testamento.

O dízimo como uma prática religiosa

No Antigo Testamento, o dízimo era uma prática religiosa que tinha como objetivo demonstrar a gratidão e a dependência do povo de Deus. Através do dízimo, o povo reconhecia que tudo o que possuíam vinha de Deus e, por isso, separavam uma décima parte de seus ganhos para oferecer ao Senhor.

O dízimo como sustento dos levitas

Uma das principais finalidades do dízimo no Antigo Testamento era o sustento dos levitas, que eram uma tribo separada para servir no templo e cuidar das questões religiosas do povo. Os levitas não possuíam terras nem outras fontes de renda, por isso, dependiam exclusivamente do dízimo para sobreviver.

As instruções sobre o dízimo na Lei de Moisés

A Lei de Moisés, presente no livro de Levítico, traz diversas instruções sobre o dízimo. Segundo a lei, o povo deveria separar a décima parte de seus ganhos e oferecer aos levitas. Além disso, havia a possibilidade de trocar o dízimo por dinheiro, caso a pessoa morasse longe do templo.

O dízimo dos produtos da terra e dos animais

No Antigo Testamento, o dízimo não se limitava apenas aos ganhos financeiros, mas também incluía os produtos da terra e dos animais. Os agricultores, por exemplo, deveriam separar a décima parte de suas colheitas e oferecer aos levitas. Da mesma forma, os criadores de animais deveriam separar a décima parte dos rebanhos e entregar aos levitas.

O dízimo como uma forma de adoração

Além de ser uma prática de sustento dos levitas, o dízimo também era considerado uma forma de adoração a Deus. Ao separar uma parte dos ganhos e oferecer ao Senhor, o povo expressava sua devoção e reconhecimento da soberania divina sobre todas as coisas.

A bênção prometida aos que ofertam o dízimo

No Antigo Testamento, Deus prometeu bênçãos aos que ofertavam o dízimo de forma fiel. Em Malaquias 3:10, por exemplo, encontramos a seguinte promessa: “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança”.

A importância da motivação correta ao ofertar o dízimo

No Antigo Testamento, Deus valorizava não apenas a prática do dízimo, mas também a motivação correta por trás dessa oferta. Em Provérbios 21:27, lemos: “O sacrifício dos ímpios é abominável; quanto mais oferecendo-o com intenção maligna!”. Isso significa que o dízimo deve ser oferecido com um coração sincero e generoso.

A relação entre o dízimo e a justiça social

No Antigo Testamento, o dízimo também estava relacionado à justiça social. Em Deuteronômio 14:28-29, por exemplo, encontramos a seguinte orientação: “Ao fim de três anos, tirarás todos os dízimos da tua colheita no ano terceiro, e os recolherás dentro das tuas portas. Então, virão o levita (pois não tem parte nem herança contigo), o estrangeiro, o órfão e a viúva que estão dentro das tuas portas e comerão, e se fartarão; para que o Senhor, teu Deus, te abençoe em toda obra que as tuas mãos fizerem”.

A prática do dízimo nos dias atuais

Embora o dízimo seja uma prática do Antigo Testamento, muitas igrejas e cristãos ainda o praticam nos dias atuais. No entanto, é importante ressaltar que a motivação por trás dessa oferta deve ser o amor e a gratidão a Deus, e não uma obrigação legalista. Além disso, é fundamental que o dízimo seja utilizado de forma sábia e responsável, contribuindo para o sustento da obra de Deus e para a promoção da justiça social.

Conclusão

Em resumo, as instruções sobre o dízimo no Antigo Testamento eram claras e detalhadas. Essa prática tinha como objetivo demonstrar a gratidão e a dependência do povo de Deus, além de sustentar os levitas e promover a adoração ao Senhor. Embora o dízimo seja uma prática antiga, muitos cristãos ainda o praticam nos dias atuais, buscando honrar a Deus e contribuir para a obra do Reino.