O que é : Hellenistas, judeus de fala grega na Igreja primitiva?

O que é Hellenistas?

Hellenistas são judeus de fala grega que faziam parte da Igreja primitiva. Essa comunidade específica de judeus tinha uma cultura e língua distintas dos judeus de fala hebraica. Eles eram descendentes dos judeus que haviam se estabelecido em regiões de influência grega, como a Macedônia, a Ásia Menor e o Egito.

A origem dos Hellenistas

Os Hellenistas surgiram como resultado da expansão do Império Grego e da influência cultural grega em várias partes do mundo antigo. Durante o período helenístico, que se estendeu do século IV a.C. até o século I a.C., muitos judeus foram expostos à cultura grega e adotaram a língua e os costumes gregos.

Essa adoção da cultura grega pelos judeus resultou na formação de uma comunidade específica, os Hellenistas, que mantinham sua identidade judaica, mas também incorporavam elementos da cultura grega em sua vida cotidiana. Eles falavam grego, adotavam nomes gregos e seguiam tradições gregas, além de praticarem a religião judaica.

Hellenistas na Igreja primitiva

Com a expansão do cristianismo, os Hellenistas também se tornaram parte da Igreja primitiva. Eles foram influenciados pelo ministério de Jesus Cristo e pelos ensinamentos dos apóstolos, assim como os judeus de fala hebraica. No entanto, devido às suas origens culturais e linguísticas distintas, os Hellenistas tinham uma perspectiva única sobre a fé cristã.

Os Hellenistas desempenharam um papel importante na propagação do cristianismo, especialmente fora da Palestina. Eles eram fluentes em grego e podiam se comunicar com pessoas de diferentes origens culturais. Isso os tornava eficazes em compartilhar o evangelho com os gentios, ou seja, não judeus, que também falavam grego.

A relação entre Hellenistas e judeus de fala hebraica

Embora os Hellenistas e os judeus de fala hebraica compartilhassem a mesma fé judaica e a crença em Jesus Cristo como o Messias, havia algumas diferenças culturais e linguísticas entre eles. Essas diferenças às vezes levavam a conflitos e desentendimentos dentro da comunidade cristã primitiva.

Os Hellenistas se sentiam marginalizados pelos judeus de fala hebraica, que eram considerados mais tradicionais e conservadores. Essa tensão culminou no episódio conhecido como “Distribuição Diária”, descrito no livro de Atos dos Apóstolos, capítulo 6.

A “Distribuição Diária” e a escolha dos sete diáconos

A “Distribuição Diária” foi um problema que surgiu dentro da comunidade cristã primitiva em relação à distribuição de alimentos para as viúvas. Os Hellenistas alegavam que suas viúvas estavam sendo negligenciadas em favor das viúvas de fala hebraica.

Para resolver essa questão, os apóstolos convocaram uma assembleia e propuseram a escolha de sete homens “cheios do Espírito Santo e de sabedoria” para supervisionar a distribuição dos alimentos. Esses homens foram escolhidos entre os Hellenistas e receberam o nome de diáconos.

A influência dos Hellenistas na Igreja primitiva

Apesar dos conflitos iniciais, os Hellenistas desempenharam um papel significativo na Igreja primitiva. Sua fluência em grego e sua familiaridade com a cultura grega permitiram que eles alcançassem um público mais amplo e diversificado.

Além disso, os Hellenistas trouxeram uma perspectiva única para a compreensão da fé cristã. Eles combinaram elementos da cultura grega com a tradição judaica, enriquecendo assim a teologia e a prática da Igreja primitiva.

O legado dos Hellenistas

O legado dos Hellenistas pode ser visto até hoje na Igreja cristã. Sua influência na propagação do evangelho entre os gentios e sua contribuição para a teologia cristã são aspectos importantes da história da fé cristã.

Além disso, a experiência dos Hellenistas nos lembra da importância de valorizar e respeitar a diversidade cultural e linguística dentro da comunidade cristã. Eles nos ensinam que é possível conciliar diferentes tradições e perspectivas em torno de uma fé comum.

Conclusão

Em resumo, os Hellenistas eram judeus de fala grega que faziam parte da Igreja primitiva. Sua origem remonta à adoção da cultura grega por parte dos judeus durante o período helenístico. Os Hellenistas desempenharam um papel importante na propagação do cristianismo e trouxeram uma perspectiva única para a compreensão da fé cristã. Apesar das diferenças culturais e linguísticas, eles contribuíram significativamente para o desenvolvimento da Igreja primitiva e deixaram um legado duradouro na história da fé cristã.