O que é : Gomorra e seu destino junto a Sodoma?

O que é Gomorra e seu destino junto a Sodoma?

Gomorra e Sodoma são duas cidades mencionadas na Bíblia, no livro de Gênesis. Elas são conhecidas por sua maldade e corrupção, e seu destino final é um dos eventos mais marcantes do Antigo Testamento. Neste glossário, exploraremos em detalhes quem eram essas cidades, o que as tornou tão infames e o que aconteceu com elas.

Origem e contexto histórico

Gomorra e Sodoma eram cidades localizadas na região do Vale do Jordão, próximo ao Mar Morto. Elas faziam parte de uma confederação de cinco cidades conhecida como Pentápolis, que também incluía Admá, Zeboim e Bela (ou Zoar). Essas cidades eram habitadas por povos cananeus e eram conhecidas por sua riqueza e prosperidade.

A maldade de Gomorra e Sodoma

Segundo a narrativa bíblica, Gomorra e Sodoma eram cidades extremamente corruptas e perversas. Seus habitantes praticavam todo tipo de maldade e imoralidade, incluindo a prática da sodomia, daí o termo “sodomia” ser usado para descrever atos sexuais considerados antinaturais ou pecaminosos. A maldade dessas cidades era tão grande que clamava por uma intervenção divina.

A visita dos anjos

De acordo com a Bíblia, dois anjos foram enviados por Deus para verificar a situação em Gomorra e Sodoma. Eles foram recebidos por Ló, sobrinho de Abraão, que vivia em Sodoma. Ló era considerado um homem justo e, por isso, Deus decidiu poupar sua vida e a de sua família do juízo que estava prestes a cair sobre as cidades.

O destino de Sodoma

Quando os anjos chegaram a Sodoma, foram recebidos por Ló, que os convidou para passar a noite em sua casa. No entanto, os homens da cidade cercaram a casa de Ló e exigiram que os anjos fossem entregues a eles para que pudessem abusar sexualmente deles. Diante dessa situação, os anjos cegaram os homens e avisaram a Ló que ele e sua família deveriam fugir da cidade antes que ela fosse destruída.

A destruição de Sodoma

Na manhã seguinte, os anjos apressaram Ló e sua família a deixarem a cidade. Eles foram instruídos a não olhar para trás enquanto fugiam. No entanto, a esposa de Ló desobedeceu e olhou para trás, transformando-se em uma estátua de sal. Pouco depois, Sodoma e Gomorra foram destruídas por uma chuva de fogo e enxofre, enviada por Deus como um castigo pela maldade de seus habitantes.

O destino de Gomorra

Embora a narrativa bíblica não forneça tantos detalhes sobre o destino de Gomorra quanto sobre Sodoma, é geralmente aceito que a cidade também tenha sido destruída juntamente com Sodoma. A destruição de Gomorra é frequentemente mencionada em conjunto com a de Sodoma, como um exemplo do juízo divino sobre a maldade humana.

Significado e lições

A história de Gomorra e Sodoma é frequentemente citada como um exemplo do castigo divino sobre a maldade humana. Ela serve como um lembrete de que a corrupção e a perversidade têm consequências e que Deus é justo em seu julgamento. Além disso, a história também destaca a importância da justiça e da retidão, representadas por Ló, que foi salvo por sua integridade.

Legado e influência cultural

A história de Gomorra e Sodoma tem sido retratada e referenciada em várias obras literárias, artísticas e cinematográficas ao longo dos séculos. Ela continua a ser um símbolo de maldade e destruição, e sua história serve como um lembrete das consequências da corrupção e da perversidade.

Conclusão

A história de Gomorra e Sodoma é uma das mais conhecidas e impactantes do Antigo Testamento. Ela retrata a maldade e a corrupção das cidades e o juízo divino que se abateu sobre elas. Essa história serve como um lembrete das consequências da maldade e da importância da justiça e da retidão. Gomorra e Sodoma são símbolos de destruição e sua história continua a influenciar a cultura e a arte até os dias de hoje.