O que é : Filhos de Deus e filhos do diabo em 1 João?

O que é: Filhos de Deus e filhos do diabo em 1 João?

Na primeira epístola de João, encontramos uma distinção clara entre os “filhos de Deus” e os “filhos do diabo”. Essa distinção é apresentada como uma metáfora espiritual, que descreve duas categorias diferentes de pessoas com base em sua relação com Deus e sua conduta moral. Neste glossário, exploraremos o significado desses termos e como eles são aplicados no contexto do livro de 1 João.

Contexto e propósito da epístola de 1 João

Antes de mergulharmos na compreensão dos “filhos de Deus” e “filhos do diabo”, é importante entender o contexto e o propósito da epístola de 1 João. Esta carta foi escrita pelo apóstolo João, um dos discípulos mais próximos de Jesus Cristo, e tem como objetivo principal fortalecer a fé e a comunhão dos crentes.

Os “filhos de Deus” em 1 João

No livro de 1 João, os “filhos de Deus” são aqueles que nasceram de novo através da fé em Jesus Cristo. Eles são descritos como tendo um relacionamento íntimo com Deus e uma natureza espiritual renovada. Esses indivíduos são caracterizados pelo amor, obediência aos mandamentos de Deus e uma vida de retidão. Eles são chamados de “filhos de Deus” porque foram adotados na família de Deus e têm uma herança eterna com Ele.

Os “filhos do diabo” em 1 João

Por outro lado, os “filhos do diabo” são aqueles que rejeitam a mensagem de Jesus Cristo e vivem em desobediência aos mandamentos de Deus. Eles são caracterizados pelo pecado, ódio e mentira. Essas pessoas são influenciadas pelo diabo e seguem seus caminhos malignos. Eles são chamados de “filhos do diabo” porque estão alinhados com o inimigo de Deus e compartilham sua natureza pecaminosa.

A dualidade entre os “filhos de Deus” e “filhos do diabo”

Em 1 João, a dualidade entre os “filhos de Deus” e os “filhos do diabo” é apresentada como uma distinção clara entre aqueles que seguem a verdade e aqueles que seguem o engano. Essa dualidade reflete a batalha espiritual entre o bem e o mal, a luz e as trevas. Aqueles que são “filhos de Deus” são chamados a viver em retidão e amor, enquanto os “filhos do diabo” são exortados a abandonar o pecado e buscar a verdade.

A transformação dos “filhos do diabo” em “filhos de Deus”

Apesar da distinção entre os “filhos de Deus” e os “filhos do diabo”, a mensagem central de 1 João é que é possível para os “filhos do diabo” se tornarem “filhos de Deus” através da fé em Jesus Cristo. Através do arrependimento e da aceitação do sacrifício de Jesus na cruz, qualquer pessoa pode experimentar uma transformação espiritual e se tornar parte da família de Deus. Essa transformação envolve uma mudança de coração, uma nova vida em Cristo e a capacidade de amar e obedecer a Deus.

A importância da identidade como “filhos de Deus”

Em 1 João, a identidade como “filhos de Deus” é vista como algo de grande valor e privilégio. Essa identidade não é baseada em méritos próprios, mas na graça e no amor de Deus. Ser um “filho de Deus” implica em ter uma relação pessoal com o Criador, acesso à Sua presença e a promessa de vida eterna. Essa identidade também traz consigo a responsabilidade de viver de acordo com a vontade de Deus e refletir Seu caráter amoroso.

A advertência contra a falsa pretensão de ser “filho de Deus”

Em 1 João, também encontramos uma advertência contra a falsa pretensão de ser um “filho de Deus”. O apóstolo João enfatiza que a verdadeira filiação divina é evidenciada pelo amor e pela obediência a Deus. Aqueles que afirmam ser “filhos de Deus” mas vivem em pecado e ódio estão enganando a si mesmos e aos outros. A verdadeira filiação divina é uma realidade espiritual que se manifesta em uma vida transformada e em um amor genuíno pelos outros.

O chamado à comunhão e ao amor mútuo

Além de descrever a distinção entre os “filhos de Deus” e os “filhos do diabo”, 1 João também enfatiza a importância da comunhão e do amor mútuo entre os crentes. Aqueles que são “filhos de Deus” são chamados a amar uns aos outros como irmãos, a compartilhar suas vidas e recursos e a se apoiarem mutuamente na caminhada da fé. Essa comunhão e amor mútuo são evidências tangíveis da filiação divina e testemunham ao mundo o poder transformador do evangelho.

A esperança e a segurança dos “filhos de Deus”

Por fim, em 1 João, encontramos uma mensagem de esperança e segurança para os “filhos de Deus”. Aqueles que são verdadeiramente nascidos de novo e têm um relacionamento com Deus podem ter a certeza da vida eterna e da proteção divina. Eles podem confiar no amor incondicional de Deus, que os guarda do maligno e os capacita a viver uma vida de vitória sobre o pecado. Essa esperança e segurança são fundamentadas na fidelidade de Deus e na obra redentora de Jesus Cristo.

Conclusão

Em 1 João, a distinção entre os “filhos de Deus” e os “filhos do diabo” é apresentada como uma metáfora espiritual que descreve duas categorias diferentes de pessoas com base em sua relação com Deus e sua conduta moral. Os “filhos de Deus” são aqueles que nasceram de novo através da fé em Jesus Cristo, enquanto os “filhos do diabo” são aqueles que rejeitam a mensagem de Cristo e vivem em desobediência a Deus. No entanto, a mensagem central de 1 João é que é possível para os “filhos do diabo” se tornarem “filhos de Deus” através da fé em Jesus. Essa transformação espiritual envolve uma mudança de coração, uma nova vida em Cristo e a capacidade de amar e obedecer a Deus. A identidade como “filhos de Deus” traz consigo um grande valor e privilégio, mas também a responsabilidade de viver de acordo com a vontade de Deus e refletir Seu caráter amoroso. A verdadeira filiação divina é evidenciada pelo amor e pela obediência a Deus, e aqueles que afirmam ser “filhos de Deus” devem viver de acordo com essa verdade. Além disso, 1 João enfatiza a importância da comunhão e do amor mútuo entre os crentes, testemunhando ao mundo o poder transformador do evangelho. Por fim, os “filhos de Deus” podem ter a esperança e a segurança da vida eterna e da proteção divina, confiando no amor incondicional de Deus e na obra redentora de Jesus Cristo.